sábado, 12 de outubro de 2013

Da tipografia e outros demônios - Parte 3 de 3

Ainda sobre tipografia! Mas calma, que a conversa já vai acabar. Pelo menos vocês vão sair desses posts menos analfabetos no assunto do que aquela (cof cof) colega webdesigner que eu citei no primeiro artigo. Mas vamos adiante... Eu estava falando de critérios para utilização de fontes!

Os pontos mais importantes de uma fonte para mim são a legibilidade, clareza e identidade. De cara é o que eu observo em uma fonte, e dependendo da aplicação (um título, um bloco de texto, etc) vou considerar o conforto do leitor, e a idéia que a fonte que vou escolher vai ajudar a passar para o observador. Quando uma fonte é selecionada e agregada a uma peça (obra publicitária, ilustração, anúncio, cartaz de filme, capa de livro ou revista, etc), mais do que informando do que se trata aquela informação visual, ela complementa a identidade visual do que estou trabalhando.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Cem anos de revisão - Por uma mudança de relações entre editores e manuscritos

Esse é um assunto que uma vez eu alfinetei comentei no Twitter, sobre a maneira que a maioria esmagadora das editoras lida com os originais recebidos. Eu sei que é assim que a bola rola aqui no BR (nem sei como acontece em outros países e nem faz diferença para nós), e que isso tem até ares de tradição, mas não me impede de ter opinião formada sobre o assunto.

Eu não sou muito familiar com esse negócio de envio de originais... Mentira. Sou sim. Mas eu também acompanhei a mudança dos meios de comunicação nesta tão prometida era de globalização. Meus professores do segundo grau pintavam a globalização feito uma espécie de apocalipse. Quanta ignorância...

Eu sempre escrevi: fanfictions, textos acadêmicos, ficção... Mas quando comecei a considerar enviar manuscritos para editoras, percebi que havia dois lados da moeda da tal globalização, e não é sobre o processo, mas sobre como as pessoas reagem à ele. Sim, precisamos ser críticos sobre isso. Vejam só:


sábado, 5 de outubro de 2013

Da tipografia e outros demônios - Parte 2 de 3

Ah, sim, claro. Eu estava falando de tipografia, seus usos e abusos e dos critérios para escolha e aplicação das fontes. Espero que esta conversa esteja razoavelmente menos chata do que as aulas que eu escutei sobre isso, amiguinhos, caso contrário eu vou achar que falhei como ser humano.

sábado, 28 de setembro de 2013

Da tipografia e outros demônios - Parte 1 de 3

Se você não sabe o que é tipografia, procure no Google, leia a definição e volte aqui para ler o resto desta postagem. Leu? Então, hoje eu vou falar de fontes, seus amores e seus pecados. Mas para o seu (e o meu) próprio bem, vou fazer de tudo para que esta conversa não seja (muito) dolorosa.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

A verdade é que eu tenho pena deste blog e do abandono em que larguei o coitado.

((Acabei de notar que já se vão quase exatos dois anos desde a última vez que estive aqui, e embora eu tenha assunto para escrever, falta tesão para isso mesmo.))

domingo, 18 de setembro de 2011

Na calçada da papelaria eu sentei e chorei - Papel


Essencialmente, para desenhar qualquer papel serve. Sério. Eu nem me atrevo a questionar isso. Mas na hora do pega-pra-capar, todo desenhista tem seus queridinhos. Claro eu também tenho, não tenham dúvida disso... Porém "amarrar" a execução de um desenho/ilustração/sei-lá a um determinado material pode ser perigoso, e meio que... desinteressante.

Testar novos materiais pode ser uma prática compensadora, enriquecedora, fascinante, que vai te fazer crescer como artista, blábláblá. Pode até ser verdade, todavia estar aberto a novas experiências estéticas também pode ser perigoso. Pode apostar que é... Claro que estou me referindo a quem ainda trabalha com papel de verdade!

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Na calçada da papelaria eu sentei e chorei - Experiência com Desegraph e outras canetas


Brincadeira. Eu não cheguei a tanto. Mas eu quase chorei no caixa na hora de pagar a "facadinha" que é o preço da tinta Trident para caneta recarregável. É, chegou a minha vez, e está sendo uma experiência das mais dolorosas e vou dizer o porquê.

domingo, 11 de setembro de 2011

Roteiro, parte 3 de 3 - Finalmente!


Fiquei devendo aos (poucos) leitores deste blog a terceira e última parte dos artigos sobre Roteiro que eu estava escrevendo. Como eu resolvi sacudir a poeira desta múmia virtual, achei por bem terminar com isso de uma vez e partir adiante para outros desaforos igualmente ofensivos e inúteis.

Abri o documento onde eu havia deixado a 3ª parte e para minha surpresa, estava quase pronta. Isso mesmo. Só precisei arrumar o PDF e correr para o abraço. Ainda bem. Eu não teria saco de escrever tudo de novo.

Agradeçam à Rachel Sumeragi pela idéia de escrever estas longas conversas sobre Roteiro. Espero que de alguma forma tenham sido úteis para vocês!